Sábado, 23 de Janeiro de 2010

Uma segunda-feira como outra qualquer...ou não!

 

 

imagem retirada da net

 

 

Quando o despertador me acordou eu não imaginei tudo o que iria acontecer naquele dia. Antes pelo contrário, imaginei mais uma monótona segunda-feira no escritório, onde o curso das rotinas seguiria sem qualquer alteração. Só este pensamento me fez fazer uma careta. Como detestei sempre a rotina e as coisas normais! Mas fui obrigada a saltar da cama, tomar banho rapidamente e sair para a rua, porque não queria de todo chegar atrasada logo à segunda-feira.

Na rua não vi o meu carro no sítio do costume e assustei-me. Depois lembrei-me que o tinha deixado em frente ao restaurante onde tinha jantado na noite anterior. Não o tinha querido trazer devido aos dois copos de champanhe que tinha bebido em brindes sucessivos aos amigos que casariam dali a poucos dias. Por isso aproveitei boleia do Jorge e deixei  o carro no restaurante.

Já tinha a mão levantada para chamar um táxi quando vi o Jorge. Jorge é o meu namorado e gosto de pensar que um dia será meu marido. Sei que fiz uma cara estranha porque ele riu-se e fez-me sinal para entrar. Explicou-me que me daria boleia para o escritório uma vez que sabia que eu estava sem carro. Fiquei contente porque já estava ligeiramente atrasada e se tivesse que esperar pelo táxi seria bem pior.

Foi mais ou menos dez minutos depois que me apercebi que não estávamos a caminho do escritório. Fiquei aflita, mas o Jorge mandou-me calar com um sorriso encantador. Desarmou-me, sem contudo me deixar tranquila. Mais um minuto e eu voltámos a tentar falar, mas mais uma vez ele voltou a mandar-me calar com um shiu ruidoso e um erguer de sobrancelhas engraçado. Por esta altura já estávamos a entrar na auto-estrada e eu a pensar que o meu atinadinho namorado tinha perdido a cabeça de vez! Suspirei e tentei perceber o que se estaria a passar ali. Jorge continuava a sorrir como se nada do que estava a acontecer fosse estranho. Eu confesso que naquela altura já estava seriamente preocupada. No entanto não quis parecer histérica e a com a voz mais calma do mundo tentei perguntar novamente o que se estava a passar. Mas o Jorge continuava alegremente misterioso, o que me estava a incomodar ainda mais. Isto nem sequer era do feitio dele! Costumava ser sempre tão certinho e responsável…

Foi mais ou menos por essa altura que saímos em direcção a Aveiro e eu já muda de aborrecimento e preocupação deixei-me ir sem refilar. Estacionamos perto da ria e ele convidou-me a sair. O tempo estava ligeiramente encoberto sem estar no entanto desagradável. Ele deu-me a mão a sorriu. Creio que lhe estava a dar um certo gozo a minha cara de aflição. Caminhamos em direcção à ponte pequena mesmo no centro da cidade, mas antes de lá chegar paramos perto de um dos moliceiros. O colorido barco estava enfeitado com grinaldas de flores frescas e o dono do barco fez-me sinal para entrar. Eu cada vez entendia menos. A que propósito é que haveríamos de passear num moliceiro a uma segunda-feira de manha cedo? Estava absolutamente atónita com tudo o que estava a acontecer. Entramos no barco os dois e o comandante da pequena embarcação manobrou-a com destreza para o meio da ria. Andamos uns metros calados embora eu tivesse mil perguntas para fazer! E ele sempre de sorriso colado na boca…

Foi então que os vi a todos dentro de um outro moliceiro cheios de grinaldas de flores. Uns metros à frente estavam dez ou doze dos nossos amigos que tinham estado no jantar da noite anterior. Bateram palmas à nossa chegada e eu não consegui articular nenhuma palavra. Estava estupefacta!

- Querida…queres casar comigo?

Sem eu dar conta ele tinha tirado um anel do bolso. Um belíssimo anel de noivado!

- Então meu amor? Não dizes nada….

Eu não conseguia. Estava aflita, admirada, feliz, preocupada, num misto de sentimentos que não conseguia controlar.

Depois disse sim. Claro que disse sim. E depois, bem mais tarde, Jorge explicou-me que depois do jantar de noivado dos nossos amigos só conseguiu pensar em pedir-me em casamento e viver comigo para sempre. Depois tomou a decisão que não podia esperar nem mais um dia e por isso tinha passado a noite em claro a preparar tudo. Tinha ido falar com os donos dos moliceiros, tinha tido que arranjar maneira de conseguir um anel de noite, e ainda de arranjar forma de eu não precisar de ir trabalhar nesse dia. Foi uma grande corrida contra o tempo, mas a verdade é que contra todas as expectativas ele conseguiu pedir-me em casamento. E eu aceitei. E casamos. E posso dizer que somos felizes…e que nunca esquecerei aquela segunda-feira que supostamente era uma segunda-feira como outra qualquer…

 

Texto de ficção escrito por Cláudia Moreira para a Fábrica de Histórias.

 

sinto-me: nem sei...
publicado por magnolia às 22:10
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De green.eyes a 25 de Janeiro de 2010 às 11:20
... este foi um pedido de casamento que ao ler me arrepiou ...

Lindo como sempre amiga

Beijinhos
De magnolia a 25 de Janeiro de 2010 às 21:46
olá querida amiga,

fico muito contente que tenhas gostado:) de verdade:)

beijinhos

Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 114 seguidores

.pesquisar

.Julho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Encerrado

. I love books

. Viagem inesquecível

. Hoje...

. O último retrato

. Post-scriptum

. Isa

. Página em Branco

. Chama Solitária

. Não há amor como o primei...

.arquivos

. Julho 2011

. Junho 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Março 2006

.favoritos

. Gosto de ti

. Um beijo...

. Quando a noite chega...

. Tenho um sonho...

.Visitinhas

.mais visitinhas

.Quem por cá anda...:)

blogs SAPO

.subscrever feeds